sábado, 26 de novembro de 2016

O Tempo e Eu!

O Tempo...
Há 46 anos e alguns meses
O tempo passa todos os dias por mim
As vezes me sorri e segue sem nada dizer
Há dias, no entanto, que chega de mala e cuia
Se hospeda no melhor quarto da casa
Fia seu rosário de travessuras
Com ele, rio, choro, medito
Ele segue lampeiro
Eu fico diante do espelho
Maquio as marcas que o travesso sempre deixa
Umas rugas (poucas eu acho)
Uns quilinhos a mais (no ver de apreciadores de magrelas)
Muitos fios de cabelos brancos (a mim agradam)
Olho o tempo nos olhos
Agradeço a companhia no porfiar da vida
Afago-me a alma
Me fazendo um acrostico de rimas quebradas!

LUCIA...

Lindeza que se funde no tempo
União de corpo e alma, sou muitas em mim
Caminhar errante num porfiar constante
Indo e vindo, folha que se deixa soltar
Atiro-me ao vento, me encanta o livre bailar!



sábado, 12 de novembro de 2016

AMOR: Estou de Ressaca!



Quando o tema é amor
Não há mesmo que se questionar poetas
Eu mulher de quarenta pós balzaquiana!
Corroboro a tese de que todo amor é eterno
Enquanto dura!
Todos os meus amores (platônicos ou não) durarão pra sempre
O primeiro da adolescência com sotaque Italiano
O Índio "Peri" da flor da mocidade
O "Deus do Ebano" vindo das terras do Haiti
O Menino artista que fazia cover do Rauzito
O Camarada com o qual dividi " flores e as pedras da estrada"
O Amigo que partilhava a cerveja gelada e o corpo suado
O que hoje inspira meus versos de rimas quebradas
Como bem disse Saramago: "Tenho os anos em que o amor, às vezes, é uma chama intensa, ansiosa por consumir-se no fogo de uma paixão desejada. E outras vezes é uma ressaca de paz, como o entardecer em uma praia."

Saudades de você!

Sobre acordar de madrugada para sonhar acordada!
Habito de quem cultiva amores platônicos
Desses que não se realizam no toque físico
Pura contemplação do desejo...
Para as aristotélicas, como eu
Amor é pra ser amado
Tocado,Abraçado, Beijado, Salivado, Suado...
Depois de realizado Eternizado
Infinita repetição (quando o amor é igualmente amado)
Saudades (quando não há reciprocidade).

"Tô com saudade de você
Na varanda em noite quente
E o arrepio frio
Que dá na gente..."

https://www.letras.mus.br/vanessa-rangel/6640/

Poemas mentais

Porque é madrugada...
E não só por ser madrugada...
Ainda não consegui dormir...
Saudades do encanto...
Daquele instante eternizado...
Das palavras não ditas...
Das reticências...
Do seu olhar antes do Ponto final.



Eu no tempo...


Os dias que se passaram...
Os dias vão se passando
O tempo não para
Vou indo e vindo
Por vezes me deixando por ele levar
Ha momentos, no entanto, em que lhe faço brecar
Puxo lhe as rédeas
Com firmeza e brandura, sou eu quem lhe dita o ritmo!

Neste instante de tempo
Ouso deixar-me assim...
A divagar!
Brincando com as palavras
Ora juntando
Ora separando
Deixando-as soltas, sem rima ou métrica.

Vai cantando minha alma
Fruído Divino
Eu no tempo
Inerte a ovacionar minha própria arte!