terça-feira, 27 de junho de 2017

Muito prazer!


Se quiseres saber quem sou eu
Não adianta me perguntar
(Não que eu não saiba, ou não queira revelar)
Olhe em meus olhos
E saberás!
Sou tal qual Lispector
Meus olhos me refletem
Sou o momento em que me vês passar
Tenho fases como a Lua
De Cecilia Meireles...
De ser Inconfidente
Ou somente sua!


sábado, 24 de junho de 2017

Meu pensamento...

Porque hoje é sábado!
Não só por ser sábado...
Dormi com o pensamento em você
Acordei com aquela sensação
Como se não tivesse dormido
Com o mesmo pensamento em você
Ágio e estático
Autônomo, assim é meu pensamento
Poético e utópico, toma forma...
"Viaja pra onde bem quiser"
Eu só quero continuar na minha cama
Porque hoje é sábado!
Vou ouvir o canto da majestade o sabiá
E sonhar acordada. (Com você).
"Meus pensamentos tomam forma e eu viajo
Eu vou prá onde Deus quiser
Um video tape que dentro de mim
Retrata todo meu inconsciente
De maneira natural
Ah! tô indo agora prá um lugar todinho meu
Quero uma rede preguiçosa pra deitar
Em minha volta sinfonia de pardais
Cantando para a majestade, o sabiá
A majestade , o sabiá
Tô indo agora tomar banho de cascatas
Quero adentrar nas matas onde oxossi é o deus
Aqui eu vejo plantas lindas e cheirosas
Todas me dando passagem
Perfumando o corpo meu
Ah! tô indo agora prá um lugar todinho meu
Quero uma rede preguiçosa prá deitar
Em minha volta sinfonia de pardais
Cantando para a majestade, o sabiá
A majestade , o sabiá
Esta viagem dentro de mim foi tão linda
Vou voltar à realidade prá este mundo de Deus
É que o meu eu este tão desconhecido
Jamais será traído pois este mundo sou eu
Ah! tô indo agora prá um lugar todinho meu
Quero uma rede preguiçosa prá deitar
Em minha volta sinfonia de pardais
Cantando para a majestade, o sabiá"

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Poema de mim, para mim!

Meu cantinho
Lugar preferido da casa
Diante da escrivania
Janela virtual aberta
Livros, muitos livros
Alguns com paginas amareladas
Outros que ainda nem foram consultados
Companheiros de jornada
Sempre presentes no árduo porfiar
A caminho do conhecimento
Por onde andamos
Nem sempre as estradas são pavimentadas
Há muito chão de terra batida
Não raro nos deparamos com jardins
Canteiros inteiros de rosas
De todas as cores
E espinhos pontiagudos
Há também o perfume das damas da noite
E de jasmins
Sem falar nas hortencias e margaridas
No sangue-de-adão e nas espadas de São Jorge!
A nos lembar aqueles jardins Internos
Que Rubem Alves semeava
Sustentando o sorriso
Mesmo quando a face se mostra cansada.


domingo, 11 de junho de 2017

Porque hoje é Sábado: Nada é impossível de mudar!

Bom Dia!!!
Porque hoje é sábado!
Não só por ser sábado
Despertei antes da hora marcada
Com vontade de permanecer um pouco mais
Nos braços de Morfeu
Pela fresta da janela
Vi, o dia ainda não clareou
Friozinho junino
Promessa de sol
E lá vamos nós
Pra labuta!
Rumamos tod@s nós
Militantes em busca de Revolução
Denunciar os usurpadores da nação
Os de terno e gravata
E também @s de toga engomadas
Está em nossa mãos
Nossas bandeiras devem ser mais fortes
Alvejar na rua
O que a Lava Jato finge limpar
Bora lá então
Que nada é impossível de mudar!
Nada é impossível de mudar
Desconfiai do mais trivial, na aparência singelo.
E examinai, sobretudo, o que parece habitual.
Suplicamos expressamente: não aceiteis o que é de hábito como coisa natural, pois em tempo de desordem sangrenta, de confusão organizada, de arbitrariedade consciente, de humanidade desumanizada, nada deve parecer natural nada deve parecer impossível de mudar.
Bertolt Brecht